zs

Pré-temporada começa com a expectativa de ser a mais pesada dos últimos tempos

Nesta segunda-feira (11), começou a pré-temporada do Chelsea visando a temporada 2016/17. O elenco ainda não está completo. Os jogadores que atuaram na Eurocopa ainda tem um tempo a mais de folga. Atletas como John Terry, Willian e Diego Costa já começaram a treinar, mesmo com chuva, esta tarde em Cobham. Aparentemente, a segunda foi de uma atividade leve, mas os jogadores já teriam recebido um aviso de Antonio Conte de que os treinos serão bastante intensos.

A informação seria do The Times, em que Conte estaria mais preocupado em focar na preparação física antes do início da temporada, contrastando do que José Mourinho e Guus Hiddink vinham trabalhando com a equipe no último ano. Com isso, espera-se uma pré-temporada com bastantes treinos físicos, fugindo um pouco do que é utilizado em boa parte dos clubes da Europa.

Conte gosta de ver interesse e participação de seus jogadores. É um treinador que joga junto com a equipe, como ficou bastante evidente enquanto comandou a Itália nessa última Eurocopa. A participação desses jogadores tem que começar a ser feita a partir de agora.

Com a escola italiana no bolso, Conte prioriza muito a marcação de suas equipes. Ainda é uma dúvida como será o esquema tático utilizado pelo técnico no Chelsea. O site até fez um exercício de imaginação quando o anúncio de Conte foi feito. Hoje em dia, já surgiram especulações até de que montaria uma equipe mais ofensiva do que a formação clássica que usava na Juventus e Itália com 3 zagueiros, um 4-2-4. Peças para ambas Conte terá. Espera-se que algumas mais cheguem ainda para consolidar o trabalho do italiano.

Durante a Eurocopa, podemos observar um time italiano com três zagueiros, mas que tinha muita posse de bola no campo ofensivo e que também tinha um forte poder de marcação que começava com os atacantes Graziano Pellè e Éder. Era uma equipe em um 3-5-2 em que os atacantes marcavam a saída de bola dos adversários anulando os volantes e obrigando a ligação direta. Contra a Espanha, Pellè foi muito eficiente anulando Busquets e forçava Sergio Ramos e Piqué tentarem um lançamento para Morata. Com três zagueiros como Chiellini, Bonucci e Barzagli, ficava uma tarefa fácil para a Itália em impedir esse time de jogada do time espanhol. A Espanha não conseguia trocar passes e ficou perdida sem seu estilo de jogo principal.

A Itália de Conte. Na esquerda, como defendia. Na direita, como atacava (Foto: Reprodução This11.com)
A Itália de Conte. Na esquerda, como defendia. Na direita, como atacava (Foto: Reprodução This11.com)

Era um time que defensivamente se entregava por inteiro. Mesmo longe de ter uma seleção como a que foi campeão do mundo em 2006, se destacou pelo comprometimento e entrega que tiveram no projeto de time de Antonio Conte. E era um time que sabia atacar. Quando com a posse, os alas avançavam quase na linha dos atacante em um 3-3-4 com Giaccherini e Parolo fazendo a ligação do meio de campo com o ataque. Éder voltava e se movimentava mais, enquando Pellè era uma referência dentro da área.

Muitos torcedores ficaram animados para o trabalho de Conte no Chelsea devido a atuação da seleção italiana. São situações diferentes e os jogadores precisam comprar o projeto para que o clube tenha uma temporada digna de seu gigantismo, tanto em território doméstico quanto a nível internacional.

Os jogadores continuam treinando em Londres até o fim de semana, quando embarcam para Austria para uma semana de treinamentos, um Training Camp. Lá, farão dois amistosos, contra o Rapid Vienna, no sábado (16) e contra o RZ Pellets (20). Depois, a equipe embarca para os Estados Unidos, aonde participará da International Champions Cup, torneio de pré-temporada e enfrentará Liverpool, Real Madrid e AC Milan.

Compartilhe

Comments

Category: Chelsea Football Club

Tags: