ap_341255947282-1260x710

O Pedro que finalmente deu certo

Quando foi contratado pelo Chlesea, em agosto de 2015, Pedro Rodriguez não era um nome muito badalado, muito menos uma garantia de mudanças radicais no time. O espanhol perdera espaço no estrelado time do Barcelona, e procurava em Londres um novo desafio na carreira. Além do mais, vindo de um dos clubes menos simpáticos ao torcedor blue (para ser modesto), a expectativa não era nada chamativa.

Como já se sabe, a temporada foi tudo aquilo que vimos e queremos esquecer. Como parte da grande renovação que ainda estamos vendo, poderíamos imaginar que um dos últimos a chegar poderia ser um dos primeiros a sair. Sem adaptação ou estabilidade, Pedro chegou a declarar seu desejo de voltar à Espanha, porém nada foi oficializado. E hoje podemos nos sentir tão arrependidos como gratos ao atacante espanhol.

Logo em sua estreia, veio a boa impressão, com um gol e uma assistência (Foto: Getty Images)

Como muitos que estão lendo esse texto, fui torcedor “anti-Pedro” por muitas semanas. De fato, nada dava certo com o jogador, e o desespero pedia mudanças naquela que é uma das posições com mais alternativas no elenco: as pontas. Mas a grande reviravolta vem acontecendo aos poucos, mais uma sob os cuidados de Antonio Conte.

Acredito que o primeiro fator para o crescimento do espanhol na Inglaterra foi o tempo. Sabemos que não é uma liga como as outras, e felizmente deram a ele bastante tempo para finalmente saber onde estava e o que devia fazer. Na sequência, vem a admirada nova formação tática. Não só Pedro, mas todos os homens de lado no Chelsea evoluíram de uns tempos para cá. A proteção da defesa permite que esses jogadores defendam e ataquem com intensidade, o que aumenta e muito a fluidez do jogo.

Espanhol hoje é peça importante no elenco (Foto: Mike Hewitt/Getty Images)
Espanhol hoje é peça importante no elenco (Foto: Mike Hewitt/Getty Images)

Em números, vemos pouco brilho no momento do espanhol (três gols cinco assistências em 19 jogos). Em campo, vemos cada vez mais entrega e participação. O não tão garoto, aos 29 anos, é rápido por característica, e agora também é forte como a Premier League demanda. Vem desbancando nomes como Willian na briga pela titularidade, e mais do que isso; ele consegue calar, em um passo de cada vez, seus críticos, mostrando que é um novo jogador nesse novo time que vemos a partir de 2016/17.

Compartilhe

Comments

Category: Chelsea Football Club

Tags: