Marco van Ginkel busca sua afirmação na Europa, assim como outros emprestados pelo Chelsea

Meio-campista revelado pelo Vitesse, Wulfert Cornelius van Ginkel é um dos melhores prospectos jovens do Chelsea. O holandês nascido em Amersfoort está perto da idade do amadurecimento e foi emprestado a vários times desde que assinou com o Chelsea, sendo o primeiro deles o Milan, depois o Stoke City e, agora o PSV, até o fim da da atual temporada.

Após quase 100 jogos no clube que confiou no seu futebol e 18 gols marcados, van Ginkel atraiu interesse de Piet de Visser, olheiro chefe do Chelsea. O “meio-campista área-a-área, que consegue percorrer muitos metros e ainda assim marcar gols” assinou um contrato de cinco anos com o clube de Stamford Bridge e movimentou oito milhões de euros para os cofres do clube de Arnhem, que é filiado aos Blues.

Apontado como um “novo Frank Lampard” pelo então técnico do Vitesse, Peter Bosz, o jogador estreou logo no primeiro jogo da Premier League da temporada 2013/14, contra o Hull City. Apesar disso, com uma grave lesão e falta de tempo em campo no Stamford Bridge, onde só atuou em duas partidas – outra válida pela Champions League -, foi emprestado ao Milan, buscando ritmo de jogo e desabrochar todo seu talento.

van Ginkel pelo Milan (Foto: Getty Images)

van Ginkel pelo Milan (Foto: Getty Images)

No clube rossonero, van Ginkel desempenhava um papel mais ofensivo, revezando a posição com Keisuke Honda. Num clube mais nivelado, tecnicamente falando, o jogador de 23 anos completou 17 jogos e anotou um gol, mas não foi fácil conquistar seu espaço. No começo, o box-to-box não tinha muitas chances e só foi estrear no final de novembro, contra a Udinese. Seu agente, Karl Jansen, criticou a posição de Filippo Inzaghi em mantê-lo no banco:

“Não estamos felizes com isso. Isso (deixá-lo no banco) não tem lógica. Marco não deveria ter ido para a Itália se não fosse utilizado. O Milan aceitou o movimento, e um van Ginkel em forma com certeza estaria no time titular.”

Com várias lesões e sendo utilizado como substituto, o jogador não se firmou na equipe, mas mesmo assim foi útil, dando assistências e circulando a bola. Marcou apenas um gol em sua passagem no clube italiano, e foi contra a Roma, em um 2 a 1 no Estádio San Siro.

Após o fim da temporada, van Ginkel retornou ao Chelsea. O clube londrino tinha interesse em Asmir Begovic e o clube de Stoke-on-Trent procurava um meio-campista para compor elenco. Assim, os dois times uniram o útil ao agradável: no negócio da contratação do goleiro bósnio, o holandês foi novamente emprestado por uma temporada.

No clube do norte da Inglaterra, jogou por 17 vezes e não fez nenhum gol, mas frequentemente foi escalado pelo técnico Mark Hughes, o mesmo técnico que cancelou seu empréstimo após seu time finalizar com sucesso a contratação de Giannelli Imbula, do FC Porto.

Um dia após o cancelamento de seu empréstimo, o jogador holandês retornou a terra em que nasceu, mas agora para defender um dos maiores clubes do país e também da Europa até o fim da temporada 2015/16.

Boas atuações na FA Cup e Djilobodji segue impressionando

Nathan Aké jogou os 90 minutos como lateral esquerdo pelo Watford, que venceu o Nottingham Forest pela Copa da Inglaterra e garantiu sua posição na próxima fase, em que receberá o Leeds United. Quem também foi destaque na competição profissional mais antiga e tradicional do mundo foi Michael Hector, que participou da vitória do Reading por 4 a 0 sobre o Walsall.

Uma das contratações mais inusitadas da temporada, Papy Djilobodji jogou a partida inteira pelo Werder Bremen no empate em casa contra o Hertha Berlim por 3 a 3. Depois de sofrer o empate por 1 a 1, Djilobodji fez o gol que diminuiu a vantagem do clube visitante para 2 a 1, mas não foi capaz de impedir que Salomon Kalou, ex-Chelsea, fizesse o terceiro tento e aumentasse a liderança para seu time. Porém, no final da partida, outro ex-blue, Claudio Pizarro, marcou duas vezes em três minutos, certificando que os pontos fossem divididos.

Luis Felipe Zaguini

Doente pelo Chelsea.