Malouda nomeia seis ex-colegas de equipe do Chelsea no seu 11 ideal

O capitão deste onze ideal seria o capitão dos Blues, John Terry

Francês está no Chelsea desde 2007 (Foto: AFP/Getty)

Francês chegou ao Chelsea em 2007 (Foto: Getty)

Florent Malouda, ex-jogador do Chelsea, atualmente no Trabzonspor, da Turquia, foi desafiado a escolher o seu melhor onze, onde incluiu seis ex-companheiros do Chelsea: Petr Cech, David Luiz, John Terry, Claude Makelele, Frank Lampard e Didier Drogba.

Mas qual a razão da escolha de tais jogadores para o seu onze de gala? Malouda explica, com as suas próprias palavras, a escolha de cada um:

Petr Cech:

“Cech é o homem indicado para os grandes jogos e para as grandes ocasiões. A última foi a final da Champions, em Munique. Preparar o estado de um goleiro é como matemática -nada acontece por acaso. Ele é alguém com grande caráter no clube e um grande líder também”.

David Luiz:

“Eu sei que com esta mentalidade ofensiva que eu tenho na minha equipe ele não estará frustado, por isso confio que ele cumpra as ordens do treinador e se mantenha na sua posição.

Ele é engraçado, mas quando são momentos sérios ele é um jogador que se faz notar e toma grandes responsabilidades numa equipe”.

John Terry:

“O segundo zagueiro central é o capitão. Escolhi uma equipe com muitas personalidades. Eu precisava de alguém para liderar e JT é um líder natural. E um jogador como ele que faz com que a equipe renda”.

Claude Makelele:

“Ele é um líder, e, para mim, um gênio da tática. Ele é o tipo de pessoa que te diz para estar bem, com calma, e para te manter na tua posição.”.

Frank Lampard:

“Na minha equipe, o objetivo é marcar e Lampard é um grande profissional e um exemplo a seguir. Quando cheguei à liga inglesa, lembro-me do Didier Drogba dizer-me para observar Lampard, pois eu tinha de aprender. Vi muitas vezes o Lampard marcar gols que dão vitórias”.

Didier Drogba:

“Eu conheci-o quando jogávamos junto no Guingamp, na França. Vi-o chegar ao nível de jogador de classe mundial quando ele marcou aquele gol em Munique. Depois, ele teve uma grande oportunidade com a grande penalidade final. Ele nos deu a Champions, o que me deixou muito feliz. Ele é um matador para os grandes jogos e para as grandes ocasiões”.

Malouda escolheu, também, Liliam Thuram, Eric Abidal, Patrick Vieira, Zinedine Zidane e Thierry Henry para o seu onze.

Francisco Moita