Rubens Loftus-cheek foi um dos destaques do jogo (Foto: ChelseaFC )

Em entrevista, Hiddink comenta sobre os jovens e aponta possibilidade de usá-los com maior frequência

Rubens Loftus-cheek foi um dos destaques do jogo (Foto: ChelseaFC )
Rubens Loftus-Cheek foi um dos destaques do jogo (Foto: ChelseaFC )

Em sua avaliação da vitória pela terceira rodada da FA Cup, Guus Hiddink destacou a ameaça muito real do Scunthorpe. O técnico também comentou sobre os membros mais jovens de sua equipe, como Ruben Loftus-Cheek. O jogador de 19 anos ampliou a vantagem dada no início do primeiro tempo por Diego Costa, mas o adversário da League One ocasionou momentos de preocupação entre os dois gols, como Hiddink observou depois.

O gol crucial no segundo tempo de Loftus-Cheek foi motivo de alegria em Stamford Bridge. Hiddink avalia sua contribuição, bem como seus companheiros jovens Kenedy e Bertrand Traore.

“É difícil descansar um monte de jogadores, mas nós trouxemos alguns jovens no segundo tempo. Isso é bom para eles. É difícil saber quando lhes dar oportunidade, porque você não quer dar muita responsabilidade para um resultado quando estão nessa fase da carreira, mas estou feliz com suas performances.”

A preocupação sobre o momento de inserir os jovens em campo, principalmente nessa situação conturbada que vive o Chelsea, parece ser um fator relevante no trabalho do técnico holandês, além de ser algo constantemente cobrado por Roman Abramovich. A exigência de dar oportunidades aos jovens talentos possui o obstáculo de não queimá-los desnecessariamente.

“Eu sabia seus nomes antes, mas eu não tinha trabalhado com eles diariamente. Agora eu estou começando a conhecê-los melhor e ver as possibilidades que têm e o que eles têm que trabalhar.”

O aparente desconhecimento do manager sobre seus jogadores mais jovens levantou o questionamento se ele iria trabalhar com eles. Passado esse primeiro momento, tudo se configura para um cenário em que o técnico observará e trabalhará melhor com as promessas dos Blues.

Para a construção do futuro azul isso pode ser determinante, uma vez que nos últimos anos o clube vem conquistando muitas glórias na base e formando jogadores com qualidades que permitem imaginá-los facilmente traçando o mesmo caminho de John Terry, revelado no clube há mais de 15 anos.

“Ruben veio e marcou um belo gol, não apenas na execução, mas na forma como ele se preparou para esse objetivo. Se você jogar com um meio campo com um médio defensivo e dois jogadores abertos ele pode jogar em ambos os lados. Se você jogar com dois médios defensivos ele pode jogar mais para cima no campo”.

O gol e a boa atuação de Loftus-Cheek lhe deram moral com o técnico. A expectativa é de que o jogador tenha mais minutos em campo. A posição ideal ainda é uma incógnita, uma vez que suas características em muito se diferem da dos demais concorrentes, mas a qualidade do jogador o credencia a jogar em várias posições no meio de campo, sendo possível encaixá-lo. Há expectativa também quanto ao aproveitamento de Kenedy, Bertrand Traoré e Ola Aina.

Compartilhe

Comments

Category: Chelsea Football Club

Tags: