Dois destes entraram e um destes saiu- saiba tudo neste especial

Blog: A atuação do Chelsea no mercado de transferências

Dois destes entraram e um destes saiu- saiba tudo neste especial
Dois destes entraram e um destes saiu- saiba tudo neste especial (Foto: Montagem)

A campanha vitoriosa de 2014/2015 indicava que o mercado de transferências do Chelsea em 2015/2016 seria calmo e sem grandes jogadas. No entanto, a saída de duas lendas e o mau início de temporada do Chelsea agitaram o mercado para os Blues – sobretudo no final. Nesta postagem, falamos em detalhe cada negócio feito pelo Chelsea na janela de transferências recém-finda e analisamos os efeitos que cada um terá na equipe.

Saídas:

– Didier Drogba

Drogba saiu como uma lenda ainda maior (Foto: Getty Images)
Drogba saiu como uma lenda ainda maior (Foto: Getty Images)

Valor: €0 (Final de contrato)
Destino: Montreal Impact

Drogba disputou 40 partidas (muitas como suplente) e marcou sete gols neste seu regresso de um ano ao Chelsea. O marfinense, um dos maiores ídolos da torcida, saiu porque desejava jogar mais no final de carreira. Embora tenha mostrado ao longo da campanha que não tinha o ritmo de antigamente, Drogba foi importante em vários jogos da liga no passado ano (como contra o Manchester United, em Old Trafford, ocasião em que foi o melhor em campo) e, vendo as dificuldades iniciais do Chelsea, talvez a sua permanência (nem que fosse por ser apenas um líder) tivesse sido a melhor decisão.

– Petr Cech 

Cech transmitiu segurança sempre que jogou
Cech transmitiu segurança sempre que jogou

Valor: €14M
Destino: Arsenal FC

Cech saiu porque sentiu que ainda podia ser importante e titular num clube de topo e no Chelsea não o era. A chegada de Thibaut Courtois ao Chelsea relegou o gigante tcheco, que continuou a trabalhar duro e mesmo sendo decisivo quando jogava não conseguiu a titularidade de Mourinho, ao banco de reservas. Se a aposta de Mourinho é fazer de Courtois um goleiro para uma década para o o clube, a saída de Cech parece fazer sentido. Mas que o Chelsea perdeu qualidade, perdeu. E, ainda por cima, para um rival direto.

– Filipe Luís

Filipe Luís esteve apenas um ano em Stamford Bridge (Foto: Getty Images)
Filipe Luís esteve apenas um ano em Stamford Bridge (Foto: Getty Images)

Valor: €16M
Destino: Atlético de Madrid

Filipe Luís não vai deixar saudades. Durante toda a temporada passada, limitou-se a ser suplente de César Azpilicueta, não aproveitando as poucas oportunidades que tinha. Regressa ao Atlético, que se deve estar feliz com o negócio: vendeu por 20, comprou por 16. Ao todo, o brasileiro disputou 26 jogos e marcou um gol.

– Thorgan Hazard

O mais novo dos Hazard nunca jogou pela equipe principal (Foto: Getty Images)
O mais novo dos Hazard nunca jogou pela equipe principal (Foto: Getty Images)

Valor: €8M
Destino: Borussia Monchengladbach

Thorgan Hazard jogou apenas uma partida pelo Chelsea – e foi pelo elenco sub-21. Embora tenha impressionado nos empréstimos, nunca foi realmente opção para o Chelsea. Assim, o clube vendeu-o por oito milhões, quando o tinha comprado por 500 mil euros. Uma boa venda de um jogador que dificilmente teria espaço no time.

– Oriol Romeu

Romeu deixa o clube sem deixar saudades (Foto: Getty Images)
Romeu deixa o clube sem deixar saudades (Foto: Getty Images)

Valor: €7M
Destino: Southampton

A saída de Romeu adivinhava-se pelos sucessivos empréstimos dos últimos anos. Sem convencer Mourinho e a torcida, o negócio foi positivo. Mesmo em seus últimos empréstimos, o espanhol não conseguiu mostrar o desempenho que tanto se esperava dele em seu início de carreira.

Gael Kakuta e Josh McEachran também deixaram o clube para Sevilla e Brentford, respetivamente. O primeiro rendeu €6M e o segundo por €1M. Embora os negócios não tenham tanto vulto, as saídas são facilmente entendidas e compreensíveis, dado que os atletas há muito estavam no clube e não receberam chances.

Empréstimos:

Juan Cuadrado saiu por empréstimo de uma temporada para a Juventus, com a equipa italiana pagando €1,8M pelo negócio. Quem também o acompanhou para Itália foi Mohamed Salah, para a Roma, com a possibilidade da equipe italiana efetuar a compra ao final da temporada. Como ambos não demonstraram grande futebol em Stamford Bridge, suas saídas não deverão ser muito sentidas.

Christian Atsu, Marco van Ginkel, Patrick Bamford, Nathan Aké, Thomas Kalas, Victor Moses, Jordan Houghton, Alex Davey, Michael Hector e Lucas Piazon foram todos emprestados a clubes ingleses: AFC Bournemouth, Stoke City, Crystal Palace, Watford, Middlesbrough, West Ham, Gillingham, Peterborough  e o Reading (tanto Hector como Piazon), respectivamente. Os negócios entendem-se e têm o objetivo de dar tempo de jogo aos jovens.

Wallace, Mateja Delac, Kenneth Omeruo, Mario Pasalic, Andreas Christensen, Todd Kane, Cristian Cuevas, Cristian Manea, Jhoao Rodríguez, Islam Feruz, Ulises Dávila, Victorien Angban, Jeremie Boga, Marko Marin e Nathaniel Chalobah foram todos emprestados a vários clubes europeus, alguns simplesmente para não ocupar espaço (visto que não fazem parte das contas de Mourinho, casos de Delac e Marin, por exemplo), outros, como Christensen, Pasalic, Boga e Chalobah, jogadores de quem se espera muito para o futuro, para terem mais minutos e poderem impressionar.

Por último, Dominic Solanke, Nathan, Isaiah Brown, Danilo Pantic e Lewis Baker foram emprestados ao Vitesse e, aparentemente, representam esperança para o futuro, visto que os ingleses fazem parte da “Geração de Ouro” da base do Chelsea e brasileiro e sérvio chegaram bem recomendados.

Aqui, você pode ler uma análise sobre a parceria Chelsea-Vitesse.

Contratações:

– Asmir Begovic

Begovic foi das primeiras contratações (Foto: Getty Images)
Begovic foi das primeiras contratações (Foto: Getty Images)

Valor: €11M
Vindo de: Stoke City

Begovic foi contratado para substituir Petr Cech. Até agora, no pouco que jogou, o bósnio esteve bem e até salvou a equipe de uma humilhação maior contra o Manchester City. €11M não é um preço excessivo por um bom goleiro e Begovic é, sem dúvida, um goleiro de qualidade.

– Abdul Baba Rahman

Baba Rahman custou 20M€
Baba Rahman custou 20M

Valor: €20M
Vindo de: Augsburg

Baba Rahman foi um dos pilares do surpreendente Augsburg da época passada na Alemanha e o lateral-esquerdo, para além de vir substituir Filipe Luís, parece ser o lateral que o Chelsea necessita: é rápido e não tem medo de cruzar a bola e avançar no terreno. Ainda não estreou pelo clube, mas pode vir a ser uma das melhores contratações deste ano.

– Kenedy

Kenedy chegou do Brasil, aumentando o (já) vasto contingente brasileiro no Chelsea (Foto: Getty Images)
Kenedy chegou do Brasil, aumentando o (já) vasto contingente brasileiro no Chelsea (Foto: Getty Images)

Valor: €9M
Vindo de: Fluminense

Kenedy estreou oficialmente pelo Chelsea no último jogo (contra o Crystal Palace) e espantou nos poucos minutos no gramado. É um jogador versátil e rápido e que, sob a tutela de José Mourinho, tem tudo para crescer.

– Pedro Rodriguez

No primeiro jogo de Pedro pelo Chelsea, o espanhol marcou (Foto: Getty Images)
No primeiro jogo de Pedro pelo Chelsea, o espanhol marcou (Foto: Getty Images)

Valor: €27M (mais €3M se atingir certos objetivos não revelados)
Vindo de: FC Barcelona

Pedro queria sair do Barça e o Chelsea queria alguém como Pedro, depois do péssimo início de temporada dos campeões. A influência do talentoso espanhol notou-se logo no primeiro jogo, onde foi fundamental, com um gol e uma assistência. Pedro já ganhou a titularidade e é o winger que o Chelsea precisava: rápido, talentoso com a bola e no passe e bom arrematador.

– Papy Djilobodji

Será o ex-Nantes o zagueiro que o Chelsea precisa?
Será o ex-Nantes o zagueiro que o Chelsea precisa?

Valor: €3,5M
Vindo de: FC Nantes

Que o Chelsea andou à procura de um zagueiro no mercado não é novidade. Mas certamente que o objetivo não era Djilobodji. Falhadas as contratações de John Stones, Marquinhos, Ezequiel Garay e Raphael Varane, Dilobodji aparece como uma alternativa para a zaga dos Blues, mas não parece melhor que Gary Cahill ou Kurt Zouma, e parece-nos que esta contratação é um pouco por desespero do mau início de época.

Destaque ainda para o empréstimo de Radamel Falcao, que já se estreou a marcar pelos Blues e tentará fazer melhor na sua segunda temporada em Inglaterra. O centroavante é um nome de peso mas certamente que o seu empréstimo acarreta algumas dúvidas, após o fraco desempenho pelo Manchester United na temporada passada.  Nathan, Pantic, Manea e Michael Hector foram todos contratados num total de €12,6M e depois emprestados.

E você, o que achou da atuação do Chelsea no mercado? Comente e deixe a sua opinião!

Compartilhe

Comments

Category: Blog

Tags: