Para a “revolução” do Chelsea se concretizar, Lampard e Terry devem ser sacrificados